Ânsia de Amar

Ânsia de Amar

Mais comum do que a ausência de amor, mais comum do que a dúvida sobre o amor do outro por nós, é a dúvida que temos sobre os nossos próprios sentimentos em relação ao outro. Tente se lembrar: quantas vezes, diante dessa ou daquela sensação, deste ou daquele sentimento, você não se viu na mesma situação, perguntando a si mesmo, quase em voz alta: será que isso que eu estou sentindo é amor? Será que eu amo essa pessoa?

Se nós nos fizéssemos perguntas mais simples e menos pretensiosas sobre os nossos sentimentos, talvez conseguíssemos respostas mais claras. Por exemplo:

Eu gosto de ficar com essa pessoa?
Eu tenho vontade de morar com ela?
Eu sinto saudades quando ela não está?
Tenho vontade de transar com ela?
As coisas que fazemos juntas são divertidas?
A presença dessa pessoa me desperta confiança?
Ela faz com que eu me sinta melhor a respeito de mim mesmo?
Eu a admiro, eu temo perdê-la, eu gosto de pensar que estarei com ela daqui a 10 anos?

Nem todas essas perguntas são fáceis, mas elas são mais simples e tangíveis do que a indecifrável questão do amor. Posto isso tudo, minha conclusão é que nos resta viver em paz com as nossas dúvidas insolúveis.

Talvez o tempo nos responda, talvez façamos uma poesia ou uma música – como Bob Marley – talvez sejamos abandonados e possamos, enfim, amar com o fervor que nós mesmos ansiamos…

Priscyla Poll

Colunista Social, Escritora por amor, Historiadora interrompida, Fotógrafa Intermediária, Jornalista desde sempre, Autêntica, Maluca, Super Sincera. Decepcionando pessoas e Cometendo Erros, te desiludindo nas horas vagas.

Related Posts
Deixe um comentário