Depressão não é Frescura.

Depressão não é Frescura.

Frescura/ personalidade fraca/ nunca teve uma vida difícil/ não sabe enfrentar a vida/ só tem isso porque é modinha/ isso passa…”

São infinitos os rótulos que existem quando o assunto é depressão. E parece ser mais infinito o número de pessoas que não compreendem e nem procuram compreender/ter conhecimento sobre essa “Frescura” que afeta um número imenso de pessoas. E para quem se acha de “Personalidade forte e teve uma vida difícil”, saiba que você não é imune a essa doença. A depressão é um transtorno psiquiátrico que afeta milhões de pessoas no mundo todo e chegando a ser considerada o mal do século pelos especialistas. Ela é do tipo de doença que pode afetar qualquer pessoa, independentemente de sua classe social, cor, orientação sexual, religião, enfim ela pode atingir qualquer pessoa em qualquer contexto, apesar de haver casos onde pessoas tem mais predisposição do que outras. Essa doença pode se tornar cada vez mais grave se não for devidamente tratada e reconhecida.

E mesmo assim, a depressão ainda é encarada como frescura, simples pessimismo ou até mesmo falta de caráter. É encarada como uma doença de poucos, ou nem mesmo como doença, o que faz com que muitas pessoas por aí sofram com ela sozinhas, sem nenhum tipo de ajuda ou tratamento. Existe um mundo imenso quando o assunto é depressão, respeite quem passa por essa dificuldade e se não sabe ajudar não atrapalhe … Busque conhecimento, compaixão e misericórdia.  Trate o depressivo com amor, atenção e dialogo é tudo o que precisamos.

A depressão é um transtorno psiquiátrico que afeta milhões de pessoas no mundo todo e chega a ser considerada o mal do século pelos especialistas. Ela é do tipo de doença que pode afetar qualquer pessoa, independentemente de sua classe social, cor, orientação sexual, religião, enfim. Qualquer pessoa em qualquer contexto, apesar de haver casos onde pessoas tem mais predisposição do que outras. Essa doença pode se tornar cada vez mais grave se não for devidamente tratada e reconhecida, culminando na pior coisa: suicídio.

E mesmo assim, mesmo assim, a depressão ainda é encarada como frescura, simples pessimismo ou até mesmo falta de caráter. É encarada como uma doença de poucos, ou nem mesmo como doença, o que faz com que muitas pessoas por aí sofram com ela sozinhas, sem nenhum tipo de ajuda ou tratamento. Por isso então resolvi explicar o que é exatamente a depressão e dar dicas não só para quem está passando por isso agora, como também pra quem tem amigos e parentes nessa situação. Vamos lá.

A depressão é uma doença neurobiológica, ou seja, pelo o que foi descoberto até agora ela é causada pela falta de produção de neurotransmissores responsáveis pelo bem estar, pelo sono, pela dor, apetite e por aí vai. Ela é uma alteração na química do cérebro, mas é totalmente influenciada pelo estado mental e fisiológico da pessoa. Isso significa que a depressão pode surgir de situações como a perda de alguém ou do emprego, desastres naturais, preconceito, doenças como câncer e diabetes (por serem graves/crônicas tem um peso maior no psicológico da pessoa) e até mesmo crises existenciais. Pode surgir a qualquer momento, em qualquer situação que esteja sendo difícil pra pessoa lidar.

Daí vem os sintomas: humor deprimido (sentimento de vazio, tristeza, desesperança), falta de interesse ou prazer em todas ou quase todas as atividades que costumava fazer, muito ou pouco sono (aí entram as insônias), falta ou excesso de apetite que acarretam em ganho ou perda de peso daquelas de todo mundo notar, cansaço ou perda de energia, sentimentos de inutilidade ou culpa excessiva, dificuldade de se concentrar, de se lembrar das coisas em geral e de tomar decisões, além de pensamentos sobre morte e/ou suicídio, com um plano específico ou não.

Outros sintomas relacionado a essa “frescura” são: Irritabilidade ou inquietação, pensamentos suicidas, isolamento social, chorar com mais frequência, retardo psicomotor (ficar lento), alucinações (casos graves), dores físicas (Dores musculares, no estômago, na cabeça, nas costas).

A depressão não é simplesmente só depressão, existe suas classificações:

DEPRESSÃO MAIOR ( ou Depressão Unipolar)

Consiste em um distúrbio de humor persistente como no mínimo 2 semanas de evolução, os sintomas são constantes, variando entre moderado e grave. Caracterizada por humor depressivo ( tristeza, desesperança, vazio), perda de interesse ou prazer, insônia ou hipersônia, fadiga, dificuldade de concentração, alteração no apetite, diminuição do desejo sexual, pensamentos de morte (com ou sem tentativas de suicídio). Pode até mesmo evoluir para alucinações e ideias delirantes. A depressão maior é um transtorno recorrente porém algumas pessoas apresentam o episódio depressivo apenas 1 vez na vida [sortuda]. Sem tratamento correto, pode persistir por até 6 meses.

DEPRESSÃO ATÍPICA

É um subtipo da Depressão Maior onde apresenta um padrão sintomas específicos: um elevado humor temporário em resposta a acontecimentos positivos (Ex: Vai para alguma festa, sente-se com um ótimo humor, porém é passageiro – [Depressão pós-carnaval?]). Outros sintomas específicos são: aumento de apetite, ganho de peso, sono excessivo, fadiga e um forte sentimento de rejeição.

DEPRESSÃO DISTÍMICA (Depressão crônica leve)

Nessa depressão existem os sintomas da Depressão Maior, no entanto de forma menos intensa (com breves períodos de humor normal) e com duração maior (2 anos ou mais). Geralmente não é observado distúrbios no apetite ou desejo sexual, mania, agitação ou comportamento sedentário. Pode ocorrer episódios de Depressão Maior, condição conhecida como depressão dupla. A pessoa tem a sensação de que sempre foi depressivo e que o humor baixo faz parte de sua personalidade.

DEPRESSÃO SAZONAL

Aqueles dias frios, sombrios, curtos, nublado geralmente no inverno e outono podem alterar o humor. Ocorrem em regiões ou países frios e em pessoas mais jovens. Quando volta a primavera e verão os sintomas podem desaparecer. A principal causa é a falta de exposição ao sol.

DEPRESSÃO BIPOLAR

Conhecida também como psicose maníaco depressiva é caracterizada pela sua variação no humor cíclico. Episódios depressivos e maníacos se alternam, ocorre comportamentos impulsivos, hiperatividade, pouco sono e fala rápida. Cada episódio maníaco ou depressivo tem duração de várias semanas. Quando a pessoa se mostra depressiva em caso de transtorno bipolar os sintomas são de Depressão maior.

DEPRESSÃO PÓS-PARTO

Está relacionada a variação hormonal que ocorre no após o parto influenciando no humor da mãe (apatia, perda de prazer), o que é absolutamente normal. O problema ocorre quando quando esses sintomas persistem, ocorrendo em  6,8 a 16,5% das mulheres adultas e até 26% das adolescentes. Outros fatores como ansiedade, desgastes e frustações ou mesmo uma gestação/parto estressante aumentam as chances da mãe desenvolver uma depressão pós parto.

Mas quais são as possíveis causas e fatores que desenvolvem a depressão ?

São inúmeras as opiniões dos profissionais quanto a causa da depressão. Há estudos que apontam a genética, alimentação, stress, estilo de vida relacionados ao surgimento/agravamento dessa doença.

Solidão, falta de apoio social, história familiar de depressão, luto, problemas de relacionamento/conjugal, problemas financeiros, trauma ou abuso na infância, uso de álcool/drogas, desemprego, problemas de saúde ou dor crônica também são fatores relacionados ao desenvolvimento da depressão.

A OMS (Organização Mundial de Saúde) já considera a depressão a doença mais incapacitante do mundo, atingindo atualmente cerca de 500 milhões de pessoas.

Vários profissionais de diversas áreas estão criando projetos que esclarecem sobre a depressão e que tem como objetivo salvar as pessoas deste mal cada vez mais crescente na sociedade foi o caso da atriz, produtora e diretora polonesa Katarzyna Napiórkowska que produziu um vídeo simples e curto, de pouco mais de três minutos, com o enfoque na depressão, de como se sente alguém que sofre da doença todos os dias.

Ah, e antes que você pergunte: não, ela garante que nunca sofreu de depressão em sua vida, mas “viveu com pessoas bipolares por muitos anos” e é por isso que ela acredita ter “um entendimento muito bom de como essas coisas funcionam”.

Eu não estou em posição de lhe dar algum conselho para lidar com a depressão. Se você acha que está sofrendo dessa doença, por favor visite um especialista. Você precisa confiar em mim – é a única forma de descobrir. Compartilhem, outras pessoas podem estar precisando”, conclui Katarzyna.

Priscyla Poll

Colunista Social, Escritora por amor, Historiadora interrompida, Fotógrafa Intermediária, Jornalista desde sempre, Autêntica, Maluca, Super Sincera. Decepcionando pessoas e Cometendo Erros, te desiludindo nas horas vagas.

Related Posts
Deixe um comentário