Medo ! Livre-se dessa sensação que te paralisa.

Medo ! Livre-se dessa sensação que te paralisa.

Como deixar de ter medo ?

Com tanta tecnologia, falta de tempo e corre-corre, as doenças da mente, do corpo, da alma tem se tornado cada vez mais constante, desencadeando todos os tipos de medo, depressões, doenças psicossomáticas, e uma infinidade de sentimentos mal resolvidos entre várias preocupações. Estas preocupações geram medos sem sabermos a verdadeira causa. O medo consegue entrar e permanecer na vida de uma pessoa sem esta dar conta e quando se quer libertar dele costuma ter bastantes dificuldades. Mas é possível se libertar dos seus medos, apesar de ser uma tarefa difícil.
A maior causa do medo que sentimos é derivado da morte, pois esse medo existe sempre dentro de nós mesmo que não pareça, é algo inconsciente, mas uma das únicas certezas que temos. Já foi comprovado cientificamente que estamos vivendo a década do medo!
Existe pessoas que têm medo de quase tudo medo de engordar, de fumar, do aquecimento global, de falar com pessoas desconhecidas, de ser assaltado, de perder o emprego, medo do escuro, medo de amar, medo de ser amado, medo de sofrer, e medo de serem felizes.
Para além destes medos existem mais. Cada pessoa é diferente, logo existem diferentes medos, portanto sempre existe um remédio para isso, é preciso deixar de ter medo, enfrentar e aprender a viver com o medo, pois o mais importante não é deixar de ter medo, mas conseguir viver bem.

Medo de falhar
O ser humano vive para conseguir obter sucesso e nessa luta existe o medo de falhar, de não conseguir ter o sucesso tanto desejado. Mas para se conseguir chegar ao sucesso é necessário ultrapassar vários patamares de exigência, que são cada vez mais altos.
Todo o sucesso tem custos de capacidade, eficiência e dedicação. Frequentemente uma pessoa que tenha medo é intolerante a frustrações e às dificuldades. Uma pessoa com medo de falhar não tem ação para reagir, fica paralisado com medo de agir. Não consegue arriscar em coisas novas, pois o medo fala sempre mais alto, não consegue decidir e ter força de vontade própria, ela espera que os outros decidam por ela enquanto fica no seu mundinho, na sua zona de conforto. Esse momento de não tentar significa que já está a falhar.

Medo das mudanças na vida
Há muitas pessoas que têm medo de fazer mudanças na sua vida. Por isso tentam evitar o máximo possível, mesmo quando a sua vida está virada do avesso. O medo não é mau e até pode ser considerado saudável. Se quer deixar de ter medo, lute sempre por aquilo que quer.
Todas as pessoas partem do seu conforto para a insegurança, provocando a aflição e o medo do que vai ter que enfrentar pela frente. No início da mudança as pessoas sentem-se estranhas com o medo e as emoções á flor da pele, mas com o passar dos dias elas vão se adaptando. Ao fim de uma semana já têm a vida normalizada sem se darem conta.
Outras pessoas ainda que não tenham medo, largam tudo e vão em busca da mudança, mas elas deixam tudo porque querem ter uma vida melhor. Existem também pessoas que não alteram nada na sua vida, pois têm medo que qualquer tipo de ação as faça sofrer, o que não querem e evitam de todas as maneiras. No entanto, cada ser humano necessita sentir todo tipo de sentimentos para conseguir crescer, desenvolver autodefesas e deixar de ter medo.

Medo de ser adulto
Quando se é criança procura-se deixar de ter medo do escuro, deixar de ter medo dos ladrões, e muitas vezes os maiores medos quando somos novos são os próprios adultos. Quando crescemos, é comum que tenhamos o sonho de nos casar, ter uma casa, ter um trabalho, de ter uma vida feliz, mas quando chega a hora da realidade nada é bem assim como sonhamos. As pessoas começam a sentir medo de ser adulto e o que mais desejam é voltar no tempo, poder voltar a ser aquela criança que sonhava.

Medo de Amar
Pessoas estão cada vez mais solitárias e decididas a serem solteiras, não se entregar e amar.
Você já sentiu medo de amar? De relacionar-se com profundidade? Sabe de onde vem esse medo?
É provável que você já tenha sentido isso.
Muitas vezes, vemos pessoas, ou ate a nós mesmos, tomando choque, sem nem mesmo tocar na tomada. Basta analisar em quantas ocasiões sentimos vontade de convidar alguém para sair, conversar, ir à praia, ou ao cinema, ouvir um som, ficar de bobeira e não fizemos nada disso temendo levar o choque do não! Ou ainda, quantas vezes deixamos de dizer às pessoas o quanto elas nos fazem bem e as amamos, por medo de que o sentimento não seja recíproco e com isso nos sintamos rejeitados?
Proteger-nos do outro e não demonstrar o que sentimos, o quanto amamos; é não compartilhar, não “precisar” (no sentido de admitir que desejassem intimidade com o outro). No entanto, não nos damos conta de que enquanto nos protegemos, tornamo-nos reféns de nós mesmos, transformamos nosso próprio coração numa prisão. Iludidos com a sensação de uma segurança que definitivamente não existe, abrimos mão da possibilidade de experimentarmos sentimentos imperdíveis! O outro além de um grande reflexo nosso pode representar algo que ainda temos dificuldade de enxergar em nós mesmo, temos partes nossas que ficam escondidas de nós mesmos até que possam ser desabrochadas por outro ser…
Proteger-nos do outro é no mínimo um ato de desamor, de medo e de total insegurança na força de nossa capacidade de se sentir acolhido e seguro. Tem pessoas que passam a vida se protegendo tanto dos sentimentos e acabam dentro de uma grande tendência a exclusão…

Tudo o que uma pessoa quer tem uma parte boa, mas também tem as suas consequências. Por exemplo, um emprego é bom porque se ganha dinheiro mas vai-se lidar com vários tipos de pessoas diferentes que não conhece. Muitas vezes damos por nós próprios a tentar sonhar e a recusar que o que estamos a viver é mentira e que ainda somos crianças felizes a viver na terra do nunca, a tal síndrome de Peter Pan. Deixar de ter medo desta realidade é uma tarefa árdua, mas que deve ser ao longo da vida ultrapassada com o apoio dos seus familiares e dos seus amigos.
Nunca ninguém nos disse que a vida era fácil e, infelizmente, está cada vez mais complicada. Se baixarmos os braços ou desistirmos das coisas, nunca conseguiremos mudar de rumo. Comece a arriscar e a deixar de ter medo se aventure e perceba o quanto a vida é bem mais livre sem medo algum !

Priscyla Poll

Colunista Social, Escritora por amor, Historiadora interrompida, Fotógrafa Intermediária, Jornalista desde sempre, Autêntica, Maluca, Super Sincera. Decepcionando pessoas e Cometendo Erros, te desiludindo nas horas vagas.

Related Posts
Deixe um comentário